Goiás: Marconi diz que Brasil precisa escapar do populismo para ingressar em ciclo virtuoso e sustentado de crescimento

A avaliação do governador Marconi Perillo sobre as perspectivas políticas e econômicas do Brasil no contexto das eleições presidenciais de 2018 é destaque da edição desta quarta-feira, dia 20, do Correio Braziliense. Em entrevista ao jornal após participar, na sede do Correio, de seminário sobre a retomada do crescimento, Marconi reforçou que o País precisa levar adiante as reformas que abram caminho para o crescimento, sustentadas em um programa de governo “arrojado e ousado”, distante das “armadilhas do populismo”.

“O grande desafio do próximo ano será escaparmos das armadilhas do populismo, para a apresentação de um projeto bem estruturado, agressivo, ousado e realizável para o País”, disse. “Algo que, fundamentalmente, garanta a transição de um ciclo populista para um ciclo virtuoso. Tudo isso ancorado em bons exemplos”, afirmou, em evento realizado pelo Correio para debater os desafios de 2018, do qual participou junto com o presidente da República, Michel Temer; ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira; presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn; e governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.

Marconi disse que o crescimento do Brasil permitirá que o país concorra de igual para igual com os integrantes do Brics – Rússia, Índia, China e África do Sul. O Brasil, na opinião do governador, avançou nos 18 meses de governo Temer, sobretudo em relação às reformas que, lembrou, “estavam paralisadas desde o governo de Fernando Henrique Cardoso” (1995 a 2003).

Marconi citou a queda da inflação, de 10% para 2,5%, o recuo na taxa Selic, de 15% para 7% ano, e o crescimento das ofertas de emprego, que começaram a surgir depois de três anos e meio de estagnação, para afirmar que o País está saindo da pior crise econômica de sua história. “Estamos melhores hoje”, avaliou.

Goiás

Em Goiás, disse o governador, mais de 300 mil empregos foram recuperados durante a gestão do presidente Temer e outros 46 mil novos postos implementados. “Isso ocorreu porque somos parte de uma gestão responsável, fiscal e administrativamente. Vemos isso na Petrobras, que, quase quebrada, mudou visivelmente seu posicionamento com essa nova gestão. É possível quebrar um ciclo nefasto e ter um ciclo virtuoso. O caminho é evitar retrocessos”, afirmou Marconi.

“Garantir efetividade das reformas também é desafio”, afirma governador
A efetividade das reformas é outro desafio no Brasil, aponta o governador Marconi Perillo. Para o tucano, elas são extremamente importantes para que o país não volte a quebrar.

Marconi defendeu, na entrevista ao Correio, a diminuição do Estado e sua transformação em algo mais eficiente, em que apenas o essencial seja de responsabilidade exclusiva da gestão, e mais qualificação e agilidade.

O governador contou sobre a experiência, em Goiás, com as Organizações Sociais (OSs). “Elas administram os hospitais goianos com critérios e fiscalização duríssima”, afirmou. Como resultado, Marconi disse que, hoje, o Estado paga três vezes mais a um enfermeiro do que os melhores hospitais particulares, e que também paga melhor os médicos. “Posso dizer, com toda tranqüilidade, que todas as nossas unidades hospitalares estão melhores que as do setor produtivo. Isso é gestão”, declarou.

Gabinete de Imprensa do Governador de Goiás

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *