São Paulo: Cássio Navarro cria Projeto de Lei de prevenção contra os efeitos das ressacas marítimas

Projeto foi aprovado na Alesp e segue para sanção do Governador do Estado

Boa notícia para as cidades que sofrem com os efeitos de ressacas marítimas. O Projeto de Lei 211/2017, do deputado estadual Cássio Navarro, que autoriza a criação do Plano de Ação de Emergências contra os efeitos da ressaca no litoral do Estado, foi aprovado ontem, dia 27, na Assembleia Legislativa. Agora o projeto segue para sanção do governador do Estado.

O objetivo é que a Defesa Civil, prefeituras e empresas desenvolvam ações para que a população se prepare melhor para evitar prejuízos em casos de ressacas.

O parlamentar mencionou que elaborou o projeto depois de observar que as cidades da Baixada Santista sofreram com as ressacas marítimas nos últimos anos e o fenômeno, que é provocado por ondas e marés astronômicas ou meteorológicas, pode se intensificar nas próximas décadas, segundo dados do Instituto Oceanográfico da USP.

Navarro foi inspirado pelo jovem Pedro Henrique da Silva Jonas, estudante de Santos. A ideia de criar a ação surgiu após a participação de Pedro em uma ação chamada Parlamento Jovem, realizada anualmente pela Assembleia Legislativa, e que tem como objetivo aproximar a Alesp da realidade dos adolescentes.

“Já presenciamos muitas vezes motoristas ilhados frente à ação do tempo nas avenidas das praias da região, especialmente em santos. As mudanças climáticas são intensas e amplificam os efeitos das marés. Precisamos estar preparados para essas situações”, afirma Navarro.

Segundo o Instituto Oceanográfico da USP, no último século o nível do mar no litoral de São Paulo subiu mais de 30 centímetros, contra cerca de 10 centímetros no resto do mundo e isso agrava as ressacas.

O deputado explica que esse aumento é alarmante e, sem um plano de gerenciamento adequado, se uma ressaca mais forte atingir a Baixada Santista os prejuízos podem ser muitos. “Diante desse cenário, devemos criar a consciência nos moradores do Litoral de que o tema é importante e precisa de um plano preventivo. Não podemos esperar algo mais sério acontecer para então fazer algo a respeito”, comenta.

Jornalista Maria Souza – MTB 60089

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *