Caturaí município goiano, que no próximo mês de agosto promove a maior festa do arroz do estado de Goiás, com a previsão de distribuição de mais de 3 mil sacas às famílias carentes do município, sediou hoje a 11ª Oficina da Região Metropolitana de Goiânia- RMG, para a elaboração do Plano de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Goiânia-PDIRMG.

As discussões giraram em torno de temas como descobrir a vocação, promover o desenvolvimento sustentávelgerando emprego e renda de forma sustentável. O debate ocorreu no período vespertino e contou com a presença da prefeita Divina Zago(PDT), os vereadores Romualdo Jesus(PT do B), Osman Anderson(PHS) e Maria de Stefano(PMDB), além do chefe de gabinete Antenor Borges, secretário de administração local, Rodrigo Maia, representantes do Governo de Goiás, de instituições públicas e privadas, comunidade e a sociedade civil.

Em sua fala de abertura a prefeita de Caturaí, Divina Zago destacou a importância daquele momento de aproximação entre os pares, município, governo estadual e comunidade para elencarem as potencialidades e os gargalos do município. “Caturaí tem que planejar o seu desenvolvimento como polo industrial para gerar emprego e renda com qualidade de vida de forma sustentável”, destacou a prefeita.

Para o vereador Osman Anderson os debates podem elencar propostas que se bem elaboradas suprirão em até 30% as questões de vulnerabilidade social, atualmente enfrentadas pela população de Caturaí. “Os cidadãos de Caturaí não têm uma perspectiva de aumento de renda e com a efetivação do PDIRMG o PIB local, hoje gira em torno de 0,08% tende a ter um acréscimo, impactando na qualidade de vida local”, enfatizou o vereador. O chefe de gabinete Antenor Braga explicou que um dos fortes da cidade é sua vocação para a indústria de confecção e facção. “Indústrias já demonstraram interesse em vir para o município que conta com uma mão de obra extremamente qualificada.

Para o Superintendente Executivo de Assuntos Metropolitanos da Secima, Marcelo Safadi o compartilhamento entre os municípios da RMG é primordial e necessário. Segundo ele, a participação com sugestões por parte da comunidade local é o diferencial. “Vocês que irão escolher o caminho a seguir, o futuro da cidade que vocês querem para daqui a muitos anos”,ressaltou Safadi.

O debate, explicou Safadi, serve para consolidar a convergência entre os municípios envolvidos no processo para a aplicação das diretrizes na rede de transporte coletivo, mobilidade, abastecimento de água, conforto ambiental e técnico, além da otimização de serviços sociais gerando uma melhoria na qualidade de vida do cidadão da RMG.

O Plano está sendo coordenado pela Secretaria do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos- Secima e pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e visa promover uma melhoria na qualidade de vida do cidadão da RMG, além de focar na implantação da Região Metropolitana de Goiânia, adaptando a legislação estadual ao novo Estatuto da Metrópole, Lei 13.089, de 12 de janeiro de 2015, que busca solucionar os gargalos hoje existentes, além de proporcionar maior autonomia na implementação das funções públicas de interesse comum aos municípios que compõem a RMG.

As próximas oficinas temáticas ocorrem no dia 1 de junho, em Caldazinha, 5 de junho, em Hidrolândia e 8 dejunho, em Nerópolis.

Valéria Carvalho – Jornalista Secima

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *