Goiás: Clube de Costura, em Goiânia, marca início da segunda fase do movimento Sou de Algodão

Depois de lançar Sou de Algodão junto ao público de moda, envolvendo estilistas renomados como Alexandre Herchcovitch e Martha Medeiros, a Abrapa convida consumidores e marcas a participar do movimento.

Sou de Algodão, movimento capitaneado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) para incentivar o consumo da fibra no mercado interno, inicia a segunda fase construindo parcerias com diversas marcas, de diversos segmentos, mostrando como o algodão está presente na vida de todas as pessoas, de forma democrática e mais próxima do que os consumidores imaginam. Como marco dessa nova etapa, a Abrapa elegeu o estado de Goiás, grande polo produtor de roupas e dono de um parque fabril de quase 10 mil empresas de confecções, para ser o piloto em uma parceria que envolve tanto o apoio à criação de moda, quanto um trabalho de conscientização entre lojistas e consumidores. Por isso, a entidade, através do movimento Sou de Algodão, está dando suporte ao primeiro fashion coworking de Goiás, e um dos pioneiros no país, o Clube de Costura, que será inaugurado no dia 29 de maio, às 20h, no Mega Moda Shopping, em Goiânia. A programação do evento contará com um bate-papo com a  jornalista de moda e escritora Lílian Pacce.

Fashion Coworking Clube de Costura é um espaço de uso compartilhado, totalmente equipado para permitir a pesquisa, a concepção e a execução de peças de vestuário, pensado e decorado para favorecer a integração entre os usuários e a troca de ideias. “É uma iniciativa que tem tudo a ver com o Sou de Algodão, porque inclui conceitos que são importantes ao movimento, como o de criatividade, sustentabilidade e colaboração. O que queremos é reaproximar moda e algodão nas camadas populares, que, devido a uma série de fatores, desde econômicos até de facilidade de acesso, vêm migrando cada vez mais para os fios sintéticos”, diz o presidente da Abrapa, Arlindo de Azevedo Moura. Segundo Moura, a rapidez com que as tendências de moda são introduzidas e a velocidade com que são superadas fez com que a indústria tivesse que se adaptar, lançando mão de matérias-primas mais baratas e versáteis.

“Mas as vantagens do algodão são muitas. Nenhum outro fio foi capaz de superá-lo no tecido mais duradouro, democrático e altamente relacionado à moda e à cultura, que é o jeans. É o algodão que faz do denim um coringa, que vai da oficina à festa, e faz parte do dia a dia das pessoas, desde que foi criado, em 1972. Um tecido feito com um fio durável, confortável e versátil só poderia ser um sucesso”, diz Moura, ressaltando que os atributos da fibra podem ser grandes aliados para as criações.

O Sou de Algodão tem o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), e está lastreado nos dados de uma pesquisa que teve início em 2014, encomendada pela Abrapa à consultoria Markestrat. O movimento ganhou a mídia e as redes sociais em 2016, quando foi lançado na 42a edição do São Paulo Fashion Week, tendo como embaixadores os estilistas Alexandre Herchcovitch e Martha Medeiros e o principal executivo e idealizador do evento, Paulo Borges.

FACT SHEET

Goiás: uma força produtora

A produção goiana de algodão tem impacto significativo na cotonicultura brasileira. Goiás é o terceiro maior estado produtor nacional da pluma, tendo mais da metade de suas 111.3 mil toneladas produzidas, em 2016, exportadas para os mercados mais exigentes do mundo. A outra metade abastece o mercado interno, favorecendo a oferta de tecido de alta qualidade para suprir a demanda da cadeia produtiva da moda, um dos maiores setores econômicos do país.

Os cuidados para assegurar um tecido que atenda às exigências do consumidor começam no campo. Os cotonicultores goianos utilizam as mais modernas tecnologias existentes para garantir um algodão de fibras resistentes e homogêneas. Para isso, contam com o apoio da Associação Goiana de Produtores de Algodão (Agopa), instituição que presta um importante papel de promover o desenvolvimento técnico, profissional e social dos cotonicultores. O resultado é uma produtividade histórica, acima de 275 arrobas por hectare, e uma produção sustentável, correspondendo aos critérios socioambientais internacionais. O apoio à produção de moda e vestuário de Goiás é uma missão que a Agopa tem como prioridade para que o algodão seja, cada vez mais, o tecido que veste os goianos.

O que é Sou de Algodão

Sou de Algodão é uma iniciativa da Abrapa, com apoio do IBA.  É um movimento que visa a incentivar o uso do algodão, unindo todos os elos participantes da cadeia produtiva da fibra, desde o produtor, passando pela fiação, tecelagem, malharia, confecção e varejo, chegando ao consumidor. Sua ideia central é ressaltar os atributos positivos de valor e sustentabilidade desta matéria-prima entre os que produzem e consomem moda.

Como nasceu o movimento

Em 2014/15, solicitada pela Abrapa, a consultoria Markestrat realizou um levantamento no mercado têxtil para avaliar a participação do algodão e trazer dados sobre a tendência de uso da matéria-prima nos próximos anos. O diagnóstico trouxe o seguinte cenário: seguindo a tendência global, o conteúdo de algodão vem caindo nas últimas décadas, dando espaço cada vez maior ao sintético.

A participação média do algodão no mercado local é de, aproximadamente, 54%, considerando o mercado formal da indústria têxtil, podendo ser ainda menor, se considerado o mercado informal e de produtos importados. Em alguns segmentos específicos, o conteúdo é ainda menor, por questões de caimento, custo e mudança de cultura. As consumidoras de moda feminina encontram motivações em melhor caimento e menor custo nas peças com maior conteúdo sintético, os homens aprenderam a aceitar e consumir roupas íntimas sintéticas que trazem conforto e melhor caimento, e as inovações tecnológicas em sintéticos trouxeram maior leque de opções para o segmento fitness.

*veja a síntese da análise – atividade de segmentos, em anexo.

Informar, valorizar, engajar, crescer

O objetivo essencial do movimento Sou de Algodão é aumentar o consumo de algodão, através de informação, promoção e ações em negócios. Através de iniciativas direcionadas, busca-se estimular os públicos envolvidos a entender os benefícios, orientar onde encontrar, como comprar e cuidar de peças de algodão, e inspirá-los a desejar uma vida mais leve, suave, natural, confortável e sustentável, motivando-os a buscar maior participação de algodão nas roupas que adquirem.

O objetivo é um aumento impulsionado no conteúdo de algodão, partindo da média atual de 54% para 64%, em 5 anos.

Nossa meta em 2017

Em 2017, o Sou de Algodão tem como objetivo crescer, buscando o engajamento de marcas de todos os elos da cadeia produtiva, assim como o apoio das marcas que trabalham juntamente com o produtor de algodão, aumentando a base de público e alcance.

O site www.soudealgodao.com.br será o ponto de convergência de todos aqueles que se interessam pelo algodão, levando mais informações para os diversos públicos envolvidos (moda, consumidor, cadeia produtiva) de forma a elevar o nível de conhecimento de todos acerca do algodão, desde os benefícios e atributos da fibra, passando por sustentabilidade e iniciativas das marcas apoiadoras, como escolher um bom produto de algodão, até onde comprar, com link para o e-commerce das marcas parceiras.

Nas frentes de sustentabilidade, queremos mostrar como a cultura responsável do algodão respeita o meio-ambiente e o trabalhador, e o engajamento das marcas apoiadoras, presentes na produção do algodão, e alinhadas às nossas crenças, levará ao consumidor a seriedade do movimento.

Nas redes sociais Facebook e Instagram, continuaremos levando inspiração e informação, conectando, e interconectando os diversos públicos.

O algodão é democrático e está presente na vida de todas as pessoas, de todas as classes sociais, e iniciaremos as ações de parceria pelo maior shopping atacadista de moda Brasil, o Mega Moda, em Goiânia, na inauguração do Clube de Costura, o primeiro fashion coworking, com um conceito colaborativo e de empreendedorismo para o mercado de moda em Goiás.


Brenno Sarques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *