Distrito Federal: Crianças da Estrutural visitam obras de arte da tradição contínua mais antiga do planeta

As férias começaram divertidas para as crianças do Projeto EducAmar, associação civil sem fins lucrativos que atende a comunidade Santa Luzia da Estrutural. Nesta terça-feira, 11/07, elas visitaram a exposição O Tempo dos Sonhos: Arte Aborígene Contemporânea da Austrália, na Caixa Cultural Brasília, e conheceram as obras de arte da tradição contínua mais antiga do planeta. “É a realização de um sonho. Muitas dessas crianças nunca tiveram a oportunidade de fazer um passeio como este. Visitar a exposição é fazer uma viagem pela história da Austrália, uma experiência e conhecimento que eles vão levar para a vida toda”, disse Thaysa Gonçalves, voluntária do projeto EducAmar que acompanhou as crianças na visita.

Pela primeira vez em uma exposição de arte, Gilcilene Silva, 11 anos, estava animada. “É tudo muito bonito e colorido. Achei fantástico. Queria muito conhecer as pessoas que fizeram este trabalho tão lindo. Esta foi a primeira vez que visitei um espaço como este e quero voltar com a família”, comemorou.

Durante a visita, as crianças conheceram mais de 60 trabalhos, selecionados por importância histórica, com uma linguagem contemporânea e técnicas diversas, tais como pinturas, esculturas, litografia e bark paintings (pinturas em entrecasca de eucalipto). Viram de perto obras da Coo-ee Art Gallery, a galeria mais antiga e respeitada em arte aborígene da Oceania, além de peças de coleções privadas e de instituições governamentais, que atravessaram o oceano exclusivamente para a exposição. “Em um acervo com mais de três mil obras, selecionamos aquelas mais significativas. Muitas já foram publicadas em inúmeros catálogos de arte, citadas em teses de dourado e exibidas em várias instituições de importância na Austrália, Europa e Estados Unidos. A coleção é um presente à população brasileira e poder contribuir também para a alegria e o conhecimento dessas crianças é muito gratificante”, disse Clay D´Paula, que assina a curadoria da mostra em conjunto com os australianos Adrian Newstead e Djon Mundine.

A exposição O Tempo dos Sonhos: Arte Aborígene Contemporânea da Austrália está em cartaz até o dia 16 de julho na Caixa Cultural Brasília. No Distrito Federal, mais de 10 mil pessoas já conferiram a mostra, considerada a mais significativa e diversificada coleção de obras de arte dos povos indígenas da Austrália a estar na América do Sul. Entrada franca.

Paulo Almeida
Tríplice Comunicação
Foto: Divulgação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *