Goiás: Hospital de Pirenópolis promove roda de conversa sobre câncer de mama

Ação faz parte das atividades da campanha Outubro Rosa, de alerta e prevenção à doença que acomete milhares de mulheres no Brasil

A prevenção do câncer de mama é o tema da campanha Outubro Rosa que busca alertar as mulheres sobre a importância do exame preventivo, os riscos e a amplitude do drama vivido por mulheres que passam por esse difícil tratamento.

É com esse objetivo que o Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), gerido pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), abre as portas aos colaboradores e comunidade externa para uma roda de conversa sobre a doença. O encontro será às 9h30 da sexta-feira, dia 27 de outubro, no jardim do Hospital.

Esta será uma oportunidade para saber mais e tirar dúvidas sobre o câncer de mama com a psicóloga Walquiria Zuppa. A profissional também vai abordar pontos delicados que envolvem o tema, como o empoderamento feminino e a valorização da mulher no contexto do adoecer, e ainda sobre o uso do turbante quando ocorre a queda de cabelo no processo de tratamento.

A roda de conversa vai contar ainda com o ginecologista obstetra Anderson Constantino que fará uma apresentação sobre o exame do toque e sobre a prevenção. No dia do evento também entregaremos a cada participante um cartão sobre a importância da prevenção do câncer de mama.

Sobre o câncer de mama

Conforme o Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo. No Brasil, ele perde apenas para o melanoma e responde por cerca de 28% dos casos novos da doença a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, ainda que seja raro. Esses casos representam apenas 1% do total. Segundo o Inca, ocorreram 57.960 mil casos de câncer de mama entre mulheres no Brasil em 2016.

Este tipo de câncer não apresenta sintomas em sua fase inicial, por isso é difícil detectar a doença precocemente. Quanto mais cedo o câncer for identificado, as chances de sucesso no tratamento aumentam em 60%. Por isso, o autoexame é a melhor forma de prevenção. O Inca e o Ministério da Saúde recomendam que toda mulher faça a mamografia de dois em dois anos.

Participe e traga seus familiares e amigos para esse evento.

Brenno Sarques

Jornalista

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *