Goiás: Municípios podem gerar a própria energia

Programa Goiás Solar incentiva prefeituras a optarem por geração fotovoltaica

O Programa Goiás Solar foi o cerne da reunião entre a superintendente de Energia, Telecomunicações e Infraestrutura da Secima, Danúsia Arantes Ferreira, e prefeitos de municípios do interior do estado. Com a finalidade de incentivar os municípios a aderirem ao Programa, foram expostos o plano estratégico e os benefícios que cada município terá ao optar pela matriz energética limpa e descentralizada.

O processo de municipalização do Programa Goiás Solar é uma estratégia importante para ampliar o alcance da iniciativa junto à população, e busca tornar cada município um gerador de energia limpa, mantendo a estabilidade do fornecimento de eletricidade. A partir do Programa, as prefeituras têm acesso ao licenciamento ambiental, atração de investimentos privados e visibilidade nacional.

Cada município interessado pode, com recursos próprios, construir suas usinas ou firmar parcerias com empresas inseridas no Programa, para que construam as usinas solares em seus municípios e passem a vender essa energia às prefeituras por um preço abaixo do que é pago hoje. Outra vantagem é a isenção da cobrança de bandeira, que aumenta o custo da energia conforme a disponibilidade hídrica nacional, e que atualmente se encontra na bandeira vermelha 2, com grandes custos adicionais na conta de luz.

Participaram da reunião os prefeitos de Campos Verdes, São Luís do Norte, Pilar de Goiás e Itapaci. Todos têm pontos de conexão de distribuição de energia da Celg D, o que integra a energia gerada pelos painéis solares à rede estadual. “Municípios podem ser autossustentáveis em energia limpa”, frisou a superintendente Danúsia

O governo de Goiás tem interesse que os municípios participem do Programa. Para isso, analisou o que cada um tem a ganhar ao instalar suas usinas. “Nosso papel é criar o ambiente, organizar a situação e mostrar às prefeituras a viabilidade dessa iniciativa”, pontuou a superintendente. A proposta tem recebido atenção dos prefeitos e gestores. “Campos Verdes tem interesse em ter uma usina solar. Acredito que esta seja uma boa iniciativa para reduzir os custos e melhorar o fornecimento de energia”, afirma o prefeito Haroldo Naves.

Residências
O número de microusinas tem crescido em Goiás. De fevereiro a outubro, o número de residências e estabelecimentos comerciais que contam com energia fotovoltaica saltou de 60 para mais de 400, um aumento de mais de 650% em menos de um ano. “Nosso diferencial com o restante do Brasil é que temos uma política pública para este setor”, concluiu Danúsia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *