Luziânia: Ana Lúcia vence processo que visava suspender seus direitos políticos

Grupo político do Prefeito Cristóvão Tormin foi o grande derrotado com a absolvição da vereadora

A vereadora foi julgada no último dia 11, em Goiânia, e por unanimidade, os desembargadores a inocentaram do processo de compra de votos que respondia no Tribunal de Justiça de Goiás. Além de ter provado sua inocência, a parlamentar ainda manteve os direitos políticos.

No processo, os denunciantes afirmaram que a vereadora havia comprado votos, simplesmente porque Ana foi a vereadora mais bem votada da história de Luziânia com 3249 votos. A denúncia não foi comprovada por falta de provas e os desembargadores ainda afirmaram que os demais vereadores da cidade deveriam seguir o exemplo dela, que mais vereadores trabalhassem em prol do povo, em vez de ficarem escondidos atrás de seus gabinetes.

Ana disse a nossa reportagem que temia inferência externa no julgamento, mas que não duvidava do absorvimento. “Deus é bom e a justiça dele não falha”, disse a parlamentar.

Com o resultado do julgamento favorável à vereadora, o grande perdedor foi o atual prefeito da cidade, da qual Ana é opositora política. Isso porque a ação da qual a mesma foi absolvida foi proposta – em 2016 – pela Coligação de Cristóvão Tormin e tinha por objetivo retirá-la das eleições de 2020 através da suspensão de seus direitos políticos. No entanto, “o tiro saiu pela culatra” e Ana saiu ainda mais fortalecida desse processo e é será sem sombra de dúvidas “a pedra no sapato” de Tormin nas eleições de 2020.

A permanência de Ana Lúcia na Câmara Municipal de Luziânia preocupa o grupo político que governa atualmente o município. Isso porque, só este ano, a parlamentar tucana já propôs duas ações contra o Prefeito Cristóvão Tormin, uma por suspeita de nepotismo e a outra por improbidade administrativa.

Com informações da assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *