Dia Mundial da Amamentação

Cuidados especiais ajudam a garantir os benefícios do aleitamento materno

O Dia Mundial da Amamentação, celebrado em 1º de agosto, tem como objetivo conscientizar sobre a importância do aleitamento materno, único alimento que um bebê precisa nos seus seis primeiros meses de vida, pois contém proteínas e anticorpos que o nutrem e o protegem. A criança que mama exclusivamente no peito aprimora a mastigação, a respiração e possui uma fala mais adequada. Além disso, tem menos possibilidade de apresentar uma diarreia e de desenvolver alergia e doenças infecciosas – como a respiratória e a urinária, por exemplo. A amamentação também é vantajosa para a mãe. Pesquisas apontam que mulheres que amamentam têm menos chance de desenvolver diversos tipos de câncer, como útero, ovário e mama. A mamada também ajuda no descolamento da placenta, auxilia o útero a voltar para o tamanho normal e proporciona perda de peso.

Entretanto, nem todas as mulheres conseguem amamentar com tanta facilidade. Algumas, por exemplo, enfrentam problemas na produção do leite. “Para as mães que não tem leite, uma fórmula homeopática chamada Leitina ajuda bastante. A maioria consegue ótimos resultados usando cinco glóbulos três vezes ao dia e ingerindo bastante água”, explica Leandra Sá de Lima, consultora farmacêutica da Farmacotécnica. Se o problema for de fluxo, vale a pena verificar com o médico a possibilidade do uso de Ocitocina. “Trata-se de um hormônio que favorece a liberação do leite pelos ductos mamários. Deve ser usado apenas com orientação médica e pode ser manipulado tanto em spray nasal quanto em comprimidos sublinguais. As duas formas são bastante cômodas para administrar o medicamento”, orienta a farmacêutica.

Às vezes, a mãe desiste de amamentar porque tem leite empedrado ou desenvolve rachaduras nos seios, o que provoca muita dor quando o bebê suga.“Com o nascimento, vale iniciar a rotina de produto cicatrizante específico, já profilaticamente. A Farmacotécnica tem uma formulação à base de fatores de crescimento que tem ajudado bastante. A ideia é cicatrizar antes que o quadro se agrave. Para isso, é importante aplicar sempre após cada amamentação e higienizar removendo o creme na hora da próxima mamada”, ressalta  Leandra. Ela destaca ainda a necessidade de fortalecer a pele na região dos mamilos, durante a gestação, utilizando uma bucha vegetal nos bicos dos seios durante o banho ou esfregando, diariamente, uma toalha úmida. “Além disso, abuse de hidratante durante toda a gravidez. Isso aumenta a flexibilidade da pele e a torna mais resistente. A loção hidratante com óleo de uva é a ideal para as gestantes, porque  evita o surgimento das estrias durante a gravidez e ainda mantém a elasticidade dos seios”, finaliza a especialista.

Paulo Almeida – Tríplice Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *