Solidão Materna: como lidar com essa situação quando o bebê chega?

Isabela Cotian, psicóloga e coach de mães, dá dicas para que as mulheres não sofram de solidão materna, que está ganhando cada vez mais intensidade em um mundo tão corrido

O bebê já está em casa, todas as angústias antes do parto já passaram e, então, é hora de começar um novo ciclo.

A maternidade é o sonho de muitas mulheres, entretanto, a modernidade vem trazendo com essa realização um grande problema: a solidão materna.

“Trata-se do vazio causado pela ausência das pessoas que apoiam a mulher nos primeiros dias de vida do bebê, causando sensação de abandono e desamparo”, explica Isabela Cotian, psicóloga e coach de mães.

Para ela, saber sentir e identificar a solidão materna é fundamental para lidar e tratar esse novo sentimento.

“Será que alguém cuida da mãe depois do nascimento do bebê? Será que a mãe é querida, importante e amada pela família? Será que todas as amigas, vizinhos ou o marido se esqueceram desta mãe?”, questiona.

Isabela ressalta que hoje se vê muitos cursos e profissionais que dão suporte aos cuidados com o bebê, mas a mãe fica sem um preparo ou uma instrução de como lidar com a solidão materna e toda a mudança emocional que acontece no pós-parto.

“Certamente a mãe vai preferir dar os primeiros cuidados ao bebê, então, é necessário alguém com intimidade para cuidar dela e saber o que fazer dentro da rotina familiar para apoiá-la”, explica.

Mais trabalhos para a mulher: sinal de perigo no pós-parto

Segundo os dados mais atuais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística), as mulheres trabalham três horas por semana a mais do que os homens.

Em 2016 os dados comprovaram 18 horas por semana desprendidas pelo público feminino para cuidados das pessoas (pai ou mãe, marido, filhos  amigos) e afazeres domésticos.

Ou seja, mesmo que optem por ofícios em tempos parciais, continuam ganhando menos do que os homens e trabalhando mais tempo.

E com a chegada de um bebê esse número aumenta, assim como a sua dedicação.

Por isso, se a mulher não tiver apoio, provavelmente essa bola de neve irá acarretar desgastes físico e psicológico para ela.

Quais as consequências da solidão materna?

coach conta que a falta de apoio, acolhimento e companhia podem desenvolver sentimentos de tristeza, solidão e desamparo, assim como transtornos de ansiedade, depressão, entre outros.

“Sendo assim, é essencial que essa mãe avalie a forma como ela vê o mundo, a sua casa e a ela mesma. Se for de forma crítica, pessimista ou até mesmo sem cor, são indícios de solidão materna, que geralmente se manifesta nessas pequenas formas”, esclarece a psicóloga.

A profissional também salienta que é muito importante as pessoas prestarem atenção nessa mãe, pois o foco costuma ser o bebê, mas ela pode precisar mais de apoio do que o pequeno ou a pequena.

“Os principais sintomas são físicos e emocionais, como falta de apetite, distúrbios de sono, baixa autoestima, afastamento do círculo social, dificuldade em retomar os cuidados com si mesma, entre outros.

Se uma pessoa próxima perceber isso, deve sugerir a essa mamãe um acompanhamento profissional”, finaliza.

Serviço:

Isabela Cotian – www.isabelacotian.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *