Dicas para driblar o turbilhão de emoções pré-casamento!

Fotógrafa dá dicas de como as noivas podem conter os sentimentos antes e no dia da celebração

Setembro é considerado o “Mês das Noivas”, mas não importa a época, toda mulher a partir do momento que ganha o anel de noivado já começa a pensar no “grande dia”. E durante todo o planejamento do casamento até o término da festa passa por um turbilhão de emoções, que mesclam ansiedade à alegria, medo de algo dar errado ao choro de felicidade e, claro, isso é normal. Mas como equilibrar tudo isso e fazer com que os preparativos e o “dia do sim” sejam menos estressantes?

Glau Lima, diretora da Galeria dos Eventos e que agrega mais de 15 anos de experiência em fotografia em matrimônios, conta que lidar com isso é rotina para os profissionais da área, mas que tudo faz parte dessa ocasião. “Creio que a ansiedade seja a maior emoção que as noivas sintam. E eu acho necessário viver essa emoção, o dosar isso é que é o grande desafio. Ao preparar o casamento, uma busca por profissionais qualificados já alivia uma grande parte, pois desde a assessoria, o buffet e todos os outros prestadores de serviços do ramo estão preparados para o grande dia do evento. O fator financeiro também influencia, pois casar não é barato! Montar um casamento de acordo com ‘seu bolso’ é outra maneira de driblar alguns problemas e isso ajuda muito”, ressalta.

Ter a quantidade certa de pessoas convidadas, segundo ela, evita muita dor de cabeça e até mesmo decepções ao longo de todo o processo. “Por exemplo, colocar o evento no mural da empresa convidando a todos é um risco enorme! Os noivos devem convidar quem realmente eles querem nessa ocasião e, por isso, creio que convites individuais sejam os mais adequados. Falando ainda de convidados, que geralmente dão muitos problemas no dia do casamento, é essencial que a assessoria ou os próprios noivos façam o RSVP, expliquem que ‘convidado não convida’, indiquem o traje adequado no convite e, de maneira discreta, mostrem que chegar atrasado ou não respeitarem as cores dos vestidos que a noiva escolheu para as madrinhas, por exemplo, deixarão os noivos chateados. Eles preparam tudo com tanto carinho, que merecem essa retribuição por quem faz questão de estar presente nessa data tão especial”.

Como saber se as emoções passaram dos limites?

 Ter crises de choro constantes, pensar em desistir, ficar com a ideia latente de que algo dará errado e ter somente esse assunto nas reuniões sociais podem fazer com que a noiva fique uma pessoa difícil de suportar. Então, como saber se isto está acontecendo?

A fotógrafa adverte que a noiva não sente que está passando dos limites, por isso, a ajuda de outras pessoas é essencial nessas horas. “Acredito que isso não está ligado à noiva e sim à pessoa, ao ser humano. E nesses momentos a família e os amigos por perto é o que ajuda e muito. A família é a base de tudo e todo suporte será bem-vindo para a noiva. E sempre destaco aos casais que o noivo não deve adotar uma postura de coadjuvante, mas que ele realmente seja parceiro em todos os momentos!”.

Para finalizar, a Glau Lima dá uma dica valiosa para as noivas que estão prestes a entrar na igreja e a vontade de chorar começa a aparecer. “Para segurar as lágrimas, uma sugestão é colocar a língua no céu da boca. Isso realmente dá certo! Depois, no altar, ela pode soltar o choro, que serão lágrimas de muita alegria e realização!”.

Serviço:

Galeria dos Eventoswww.galeriadoseventos.com.br

Jornalista: Priscilla Silvestre
Crédito Foto: Glau Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *