São Paulo: Lei Maria da Penha é tema de palestra na XI Semana da Mulher de Praia Grande

Diariamente milhares de mulheres são vítimas de violência no País

“A maquiagem forte esconde o hematoma da alma”. Com essa que a empresária e atriz, Luiza Brunet, revelou as agressões que sofria do ex-namorado. Conforme dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) ela e milhares de mulheres são vítimas de violência doméstica diariamente no País.

Por isso, o assunto foi discutido na manhã de terça (13) no Centro de Aprendizagem Metódica e Prática Praia Grande (Camp-PG), situado no Sítio do Campo, com mais de 50 jovens e seus familiares durante palestra da advogada, Cintia Rosa Dias, que apresentou dados sobre a evolução da Lei Maria da Penha.

A palestrante explicou a importância da criação da Lei Maria da Penha (Lei 11.340) sancionada em 2006 e os diversos benefícios na luta pela preservação dos direitos da mulher. A lei homenageia Maria da Penha, que lutou por 20 anos para ver preso seu agressor, que tentou matá-la por duas vezes, deixando- a paraplégica.

Mesmo com tantos avanços em defesa dos direitos da mulher, a Lei da Maria da Penha não é capaz de punir todos os casos, é o que aponta a pesquisa realizada pelo Observatório da Mulher contra a Violência (OMV), em parceria com o Instituto de Pesquisa DataSenado, que mostra que apenas uma em cada três mulheres vítimas de violência denunciam os agressores.

Para a presidente da Ong DCM, Ana Sílvia Passberg de Amorim, quando a mulher se empodera e torna-se protagonista de sua própria história, ela tem uma autoestima elevada e sempre estará lutando para que seus direitos sejam preservados. “O que me motiva a continuar batalhando pela preservação dos direitos da mulher é saber que eu fiz a diferença na vida de alguém e também por estar levando conhecimento para toda a sociedade”.

A membro do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim) e coordenadora administrativa do Camp-PG, Elisângela Dias dos Santos, explicou a importância da palestra para os jovens aprendizes. “É importante que os jovens, desde já, saibam sobre a Lei Maria da Penha, tendo assim mais conscientização sobre os seus direitos e também deveres”.

A Lei Maria da Penha caracteriza como violência contra mulher os seguintes casos: violência física, psicológica, sexual, patrimonial e moral. As mulheres ou familiares que detectaram esse tipo de violência podem procurar:

1- A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Praia Grande de segunda a sexta-feira, e outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3471-8000. A DDM está localizada temporariamente na Avenida Dr. Roberto de Almeida Vinhas, 11084, Bairro Tupi.
2- O Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas) sempre de segunda à sexta-feira das 8h30 às 16h30. O Creas está localizado na Rua Emancipador Paulo Fefim, 775, Bairro Boqueirão. Informações podem ser obtidas pelo telefone: 3496-5033
3- ONG de Defesa e Cidadania da Mulher (DCM) de segunda à sexta-feira das 9 às 17horas. A DCM está situada na Rua Primeiro de Janeiro, 954, Bairro Mirim. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: 3495-4913

Semana da Mulher- O protagonismo feminino vem sendo divulgado por diversos meios nos últimos anos e a XI Semana da Mulher de Praia Grande também tem como tema este assunto. Protagonismo feminino é o ato de fortalecer as mulheres por meio da cidadania, atribuindo poder de participação social, garantindo que toda a sociedade esteja ciente sobre as lutas aos direitos, assim como, a total igualdade entre os gêneros.
Já tradicional em Praia Grande, o evento é realizado pela ONG DCM, com o apoio da Administração Municipal e ocorrerá até 15 de março em vários equipamentos da Cidade.

Confira abaixo a programação completa da XI Semana da Mulher de Praia Grande para os próximos dias (sujeita à alteração):

14 até 15h30 – E.M Ronaldo Sérgio Alves Lameira Ramos
Palestra “Seja Protagonista da Sua História” com Psicóloga Josefa de Oliveira para Meninas
Palestra “Seja Protagonista da Sua História” com Psicóloga Rosa Maria para Meninos
Local: E.M Ronaldo Sérgio Alves Lameira Ramos- Av. Irmãos Adorno, 1 – Sítio do Campo;

16 até 17h30 – E.M Ary Cabral
Palestra “Seja Protagonista da Sua História” com Psicóloga Josefa de Oliveira
Local: E.M Ary Cabral- Rua Ruy Manoel Sampaio Seabra Pereira, 546 – Quietude;

14 de março – Quinta-feira
16h30 até 17h30 – E.M Oswaldo Justo
Palestra “Seja Protagonista da Sua História” com Psicóloga Josefa de Oliveira
Local: E.M Oswaldo Justo- Rua 1º de Janeiro, 987 – Mirim;

15 de março – Sexta-feira
9 até 10h30: Café da Manhã na Delegacia Defesa da Mulher (DDM)
Local: DDM- Avenida Doutor Roberto de Almeida Vinhas, 11084, Fundos, Vila Tupi;

Encerramento- 19h30 até 21h30 – Auditório Roberto Marinho
19h30 – 20 horas Coffee Break
20 horas – 20h30 Abertura com Coral do Conviver Caiçara e Dança Cigana.
20h30 – 21h30 Palestra “Da Lei Maria da Penha ao Feminicídio”, com Drª Kátia Boulos, advogada, membro da diretoria executiva da Virada Feminina e coordenadora do Grupo do GT Violência contra a Mulher.
Local: Auditório Roberto Marinho- R. José Borges Neto, 50 – Nova Mirim.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *