Último dia do Congresso do IGT tem palestras de ministros do TST

O 25º Congresso do Instituto Goiano de Direito e Processo do Trabalho (IGT) terminou nesta sexta-feira (7) com seis palestras voltadas ao tema “Futuro do Trabalho e Novas Tecnologias”. Entre os convidados estavam os ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Breno Medeiros, Douglas Alencar Rodrigues e Delaíde Alves Miranda Arantes.

O evento foi realizado no auditório do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT) e reuniu centenas de advogados, estudantes e outros profissionais ao longo dos três dias de palestras e discussões.

Nesta sexta, Medeiros foi o responsável pela primeira palestra e trouxe a discussão sobre jurisprudência trabalhista pós-reforma trabalhista e destacou a importância de a Justiça ser célere e eficaz. O debate com as perguntas da plateia foi mediado pela juíza do trabalho Jeovana Cunha de Faria, que presidiu a mesa. Em seguida, o ministro Douglas Alencar ministrou palestra sobre transcendência e destacou que o cenário ainda é de consequências da reforma Trabalhista.

Em sua palestra sobe as novas modalidades de trabalho, o juiz do trabalho Platon Teixeira de Azevedo Neto falou sobre importância das novas tecnologias e sobre como elas não podem substituir o trabalho do homem. “Esperamos que as máquinas fiquem com as tarefas repetitivas. Quais são as coisas que os robôs não podem fazer? Eles não têm sensibilidade. O profissional do futuro é o que investe em relacionamento interpessoal”, disse Platon.

A goiana ministra do TST, Delaíde Alves Miranda Arantes, foi debatedora sobre o tema Ônus da Prova e Quitação do Contrato de Trabalho, com palestra do advogado paulista Luís Carlos Moro.

Redes sociais

A tarde ainda teve discussões sobre o ambiente de trabalho e as redes sociais, em que o advogado Ricardo Souza Calcini trouxe exemplos de casos em que trabalhadores foram demitidos por justa causa devido a comportamento inadequado nas redes sociais, com ofensas a chefes e à empresa em que eram empregados, por exemplo. Ainda entraram em debate os temas ônus da prova e quitação do contrato de trabalho e organização sindical negociação e custeio.

O último dia de congresso também foi marcado por homenagem da diretoria do IGT à presidente da instituição, advogada Carla Zannini. Em seu discurso ao final do evento, Zannini destacou a rapidez com que o uso da tecnologia tem avançado no trabalho. “A tecnologia é sempre bem-vinda, para facilitar nossas vidas, para resolver problemas difíceis, para nos dar comodidade e segurança. Mas é inegável que ela, o avanço dela tem efeitos também no universo do trabalho e do Direito do Trabalho”, disse a presidente.

A edição deste ano do congresso do IGT foi em homenagem ao juiz Kleber de Souza Waki.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *