Clóvis de Barros grava programa sobre Ética na ABC

Programetes gravados com o Livre-Docente da USP vão auxiliar  na capacitação de servidores na Escola de Governo

O jornalista e professor Clóvis de Barros Filho, livre-docente da Universidade de São Paulo (USP) na área da comunicação, gravou hoje (18), na Televisão Brasil Central (TBC), pequenos programas em forma de aulas sobre o tema Ética, que auxiliarão e orientarão os servidores estaduais, na Escola de Governo e no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em apoio ao plano de Compliance, que está sendo desenvolvido em toda a estrutura do atual governo, com a recomendação do governador Ronaldo Caiado. Trata-se de uma parceria feita também entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), Agência Brasil Central (ABC), Secretaria de Administração (Sead), por meio da Escola de Governo, Senac, Controladoria Geral do Estado (CGE) e Secretaria de Comunicação (Secom).

Clóvis nasceu em Ribeirão Preto, é bacharel em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero de São Paulo (1985) e em Direito pela Universidade de São Paulo (1986), especialista em Direito Constitucional (1988) e em Sociologia do Direito (1989) pela Université Panthéon-Assas de Paris, mestre em Ciência Política pela Université Sorbonne Nouvelle de Paris (1990) e doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2002).

No final do mês de julho deste ano, Clóvis fez palestra para 1.200 servidores do Governo do Estado de Goiás sobre o tema “Ética e Serviço Público”, no Centro de Convenções de Goiânia, dentro do programa de Compliance Público, que o governador destaca a partir de um tripé que considera fundamental para o desenvolvimento do serviço público: respeito ao Estado, valorização do funcionalismo estadual e qualificação dos serviços prestados ao cidadão.

Na palestra, Clóvis classificou o Compliance Público como uma iniciativa pioneira, inovadora e muito bem-vinda. “Graças a esse tipo de programa, podemos calibrar valores, princípios e normas de maneira a tornar o serviço público cada vez mais eficiente na hora de servir o público”, argumentou. Ele ressaltou que a moral é uma questão de consciência e que tal princípio está ligado à tomada de decisões das pessoas, ou seja, “mesmo quando não tem ninguém observando, ainda tem você capaz de discernir entre o certo e errado”.

Para ele, a ética é formada pelo tripé: valores, princípios e normas. “É uma questão de liberdade e escolha. Mas não é consciência de um, é um trabalho de todos. Todos a serviço da melhor convivência possível. Faz parte da ética a identificação do tipo de sociedade que queremos pra nós”, resumiu ao traçar trajetórias históricas para ilustrar a mudança de percepção em torno da palavra com o passar dos séculos.

Ele e o secretário Adriano da Rocha Lima, de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), são autores do livro “Inovação e Traição – Um ensaio sobre fidelidade e tecnologia”, lançado pela Editora Nobilis. No livro, ele define inovação como tudo o que rompe com o passado.

ABC Digital – Agência Brasil Central

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *