São Paulo: em Praia Grande, Programa De Olho no Futuro entra em nova fase

Exames clínicos de acuidade visual passam a ocorrer em escolas polos

Após fazer triagem de 7.948 alunos de 33 escolas municipais com turmas de Infantil I e II, o programa De Olho no Futuro entra em nova fase. A partir de agora, a iniciativa volta às unidades de ensino polos para fazer os exames clínicos de acuidade visual em 1.811 meninas e meninas encaminhados para consulta. Realizado desde o ano passado, o projeto já fez a doação de 36 óculos de grau a crianças que apresentaram dificuldades de enxergar.

Até início da próxima semana, a EM Newton de Almeida Castro, no Bairro Vila Sônia, será a primeira unidade polo que receberá a equipe de profissionais de oftalmologia para realizar as consultas. Nesta escola passarão por atendimento 297 alunos oriundos das EMs: Idílio Perticaratti, do Antártica, Idalina da Conceição Pereira, também do Vila Sônia, e José Ribeiro dos Santos Cunha, do Glória, além das crianças da próxima unidade sede.

Na primeira fase do programa, os alunos que precisavam passar pelo oftalmologista eram encaminhados para consulta realizadas no Centro de Especialidades Médicas, Ambulatoriais e Social (Cemas). De acordo com a secretária de Educação, Nanci Solano Tavares de Almeida, a mudança se deu com o objetivo de facilitar o acesso dos pais e alunos aos médicos. “Assim aproximamos o atendimento da comunidade. Além de agilizar o diagnóstico final”, destacou.

Uma vez na escola polo, a equipe médica realiza os exames como se estivessem no consultório. Para isso, todos os aparelhos e equipamentos ficam instalados em uma sala previamente separada. Acompanhados dos pais, um a um os alunos entram para que seja feito o diagnóstico. Confirmada a necessidade de usar óculos, o nome dos pequenos segue para análise social e, posteriormente, a doação do aparelho uma vez que a família apresentar que não tem condições de adquiri-lo.

Aluna da EM Newton de Almeida Castro, Heloísa Ribeiro de Moraes, 5 anos, esteve nesta terça-feira (2) entre o grupo de crianças encaminhadas para consulta. Acompanhada da mãe, Andressa Ribeiro de Moraes, 29 anos, a pequena passou pelos exames necessários. “Ela já usou óculos uma vez, pois tinha estrabismo. Achei bem interessante a iniciativa de as crianças realizarem o exame na unidade escolar. Até porque nem todos têm condições de pagar a consulta”, destacou a auxiliar de enfermagem.

A EM Manoel Nascimento Junior, Bairro Boqueirão, será a próxima escola polo a receber a equipe técnica com data ainda a ser agendada. Na unidade, os médicos farão o atendimento de 255 alunos oriundos das EM Estina Campi Baptista, do Canto do Forte, EM República de Portugal, do Guilhermina, EMs Luzia Borba Ranciaro e Dorivaldo Francisco Loria, ambas do Sítio do Campo, além dos alunos da própria escola.

De Olho no Futuro – Realizado desde 2018, o programa tem como objetivo identificar possíveis alterações visuais apresentadas e, assim, evitar que o problema cause um baixo rendimento acadêmico. A iniciativa ocorre por meio de parceria entre as secretarias de Educação (Seduc) e Saúde Pública (Sesap). Até o momento, o projeto já fez a doação de óculos de grau a 36 crianças, graças ao apoio do Centro Cultural Dalton Pinheiro Pedroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *