Ação integrada em prol das mulheres em situação de rua

Simone Barros, da Coordenação de Mulheres Rurais, faz atendimento em frente ao ônibus lilás | Foto: Paulo H. Carvalho /Agência Brasília
GDF atua no Setor Comercial Sul orientando sobre políticas públicas para situações de vulnerabilidade

LÚCIO FLÁVIO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: RENATA LU

Mais um dia de operação integrada entre várias secretarias do GDF no atendimento a pessoas em situação de rua no Setor Comercial Sul (SCS). Serão dez dias de ações, que tiveram início na última terça-feira (25). Entre os órgãos que fazem parte da iniciativa está a Secretaria da Mulher, que estacionou no local uma Unidade Móvel de Atendimento. Nos dois dias de encontro, já foram realizadas cerca de 25 abordagens. A grande maioria, fora do ônibus lilás que conta com duas “salas de conversas”.

“Elas preferem que as conversas sejam fora do ônibus mesmo, são mulheres com experiências de vidas marcadas pela vulnerabilidade, muitas com histórico de violência desde a infância”, conta Fernanda Falcomer, Coordenadora de Assuntos Intersetoriais da Secretaria da Mulher do DF, responsável pela Unidade Móvel no local. “O nosso foco é ouvir e compreender a complexidade da trajetória dessas vítimas, saber suas demandas e oferecer um atendimento adequado dentro das nossas políticas públicas”, detalha a servidora.

Até o dia 4 de setembro, uma equipe de quatro profissionais da Secretaria da Mulher estará à disposição diariamente no local, oferecendo informações e orientações sobre os direitos que todas as mulheres têm, as leis de amparo existentes e fazendo o direcionamento correto para as principais demandas na área de saúde, pedidos de cestas básicas e moradias. Panfletos com explicações sobre violência doméstica, Lei Maria da Penha e números de contatos de disque denúncia estão à disposição de todas.

Após os agentes sociais da pasta fazerem o cadastro e o mapeamento da situação, o caminho seguinte é vincular as mulheres atendidas aos vários programas de assistência e inclusão da Secretaria da Mulher por meio do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM). Atualmente existem duas unidades para esse tipo no DF. Uma na 102 Sul e outra em Ceilândia.

| Foto: Paulo H. Carvalho

“Como estamos trabalhando em rede, algumas demandas são encaminhadas para órgãos específicos.  A ideia é fazer o atendimento da melhor forma possível, que elas entendam o seu papel, mesmo sendo moradoras de rua”, destaca Simone Barros, responsável pela Coordenação de Mulheres Rurais da Secretaria da Mulher. “Estaremos construindo novas oportunidades e possibilidades para aquelas que, por diversas razões escolheram ou foram parar ali. Falo com nossa equipe que vamos viver com elas esses dez dias”, diz a psicóloga Fernanda Falcomer.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *