Que tal um churrasco de picanha neste Dia dos Pais?

Em mais uma data comemorativa durante pandemia, brasileiros devem passar o domingo em casa com a família

Mesmo diante de um momento de instabilidade na economia e mais cautela na hora de fazer gastos extras, estima-se que o Dia dos Pais, uma das principais datas do varejo nacional, no dia 9 de agosto, deve ser marcado por muitas comemorações neste ano. Nem que seja com uma “lembrancinha” simbólica, uma recente pesquisa mostra que 69% dos brasileiros pretendem comprar um presente para os pais. Os dados são da Méliuz. E para quem prefere evitar as compras online, com receio do presente não chegar a tempo para a data, uma boa alternativa é aproveitar a ida ao supermercado ou atacarejo mais próximo, quando for abastecer a despensa de casa, para já garantir o presente do pai e o almoço especial do domingo.

Uma curiosidade de mais uma comemoração feita durante a quarentena, é que a pandemia e o isolamento social aproximaram os pais mais jovens de seus filhos, que passaram a dar mais atenção aos pequenos que estão sem frequentar a escola. Um estudo feito em maio e divulgado pela Ong Canadian Men’s Health Fondation mostra que o confinamento em casa fez 60% dos pais se reaproximaram de seus filhos.

E já que domingo é dia de celebrar, uma boa pedida é apostar em comida saborosa, preparada com estilo e sabor que os pais adoram. Que tal uma picanha? É simples de preparar e com alta capacidade de agradar os mais diversos paladares. A primeira dica é jamais cortar a gordura. A picanha é a queridinha dos churrasqueiros devido a sua maciez, suculência e sabor inconfundíveis. Porém, essas características podem ser alteradas se não tomar alguns cuidados na hora do preparo. “Cortar a gordura, por exemplo, é um erro”, diz o especialista em churrasco de picanha, Arley Dias.

Segundo Arley, é importante escolher uma picanha com uma capa de gordura de pelo menos 1 cm de espessura e firme. “Existe uma história que a picanha pesa no máximo 1,3kg. Porém, o peso da picanha é proporcional ao tamanho e peso do boi. O que vale é a picanha ser cortada na terceira veia. Da terceira veia pra trás, começa o coxão duro”, explica Arley.

Sal é o sabor, simples assim – Não existe regra na hora de temperar a picanha. Porém, o ideal é usar apenas sal. Isso vai permitir conseguir o melhor do seu sabor. “Eu prefiro o sal grosso puro, ou com algumas especiarias como ervas finas”, detalha. Na hora de assar, Arley conta que corta a peça em bifes de 3 a 4 cm de espessura, coloca o sal e sela os lados no braseiro forte. Ela vai estar mal passada, que é o meu ponto preferido”, diz.

Para quem gosta da carne ao ponto, Arley ensina fazer todo o processo descrito anteriormente e depois de selar no braseiro forte, levantar a carne para 40 a 50 cm da brasa até chegar ao ponto ideal. “Depois, corto em fatias e só aí tempero com sal de parrilla”, fala.

Na loja do Sol Nascente do Fort Atacadista, em Ceilândia (DF) além dos itens de alimentação, bebidas e higiene, tem o Açougue Carne Frescas, com cortes selecionados e embalados todos os dias. E nas demais unidades de Taguatinga e Ceilândia tem ainda inúmeras opções que vão de bebidas como vinhos importados e cervejas artesanais, alimentos gourmet e itens do bazar que podem ser presentes para os pais. “A ideia de encontrar em um mesmo lugar os itens básicos da sua alimentação e higiene pessoal e ainda poder encontrar opções para presentear é muito propícia para o momento, em que todos estamos evitando muitas saídas de casa. Os preços diferenciados do atacarejo também são um forte atrativo, pois todos estão buscando mais economia”, explica Celso Furtado, gerente nacional de marketing do Fort Atacadista.

FOTOS: Arley Dias

Informações para a Imprensa – Hellen Quida – Assessora de Imprensa – Fort Atacadista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *