Eva é a primeira idosa de Praia Grande vacinada contra Covid-19

Dona de casa mora no Lar São Francisco de Assis, um asilo municipal

Quando foi morar no Lar São Francisco de Assis, em Praia Grande, no final de 2019, a dona de casa Eva Pereira de Oliveira, com 72 anos, não tinha ideia do período que iria enfrentar nos próximos meses. Além deixar para trás a casa em que viveu, precisou lidar com o cárcere imposto pela pandemia. Ao saber que seria a primeira a ser vacinada no abrigo, não suportou a emoção e chorou. Lágrimas que marcam o início de um novo tempo.

Desde o início da pandemia, a Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI) de Praia Grande virou um local de extrema atenção para as autoridades do Município. Cuidado diário dos funcionários, acompanhados de perto por equipes de Saúde e Assistência Social. Tudo para garantir a saúde dos idosos e servidores do local. Não houve óbitos pela doença, apesar de 10 idosos terem testado positivo para o vírus no início da pandemia. Todos assintomáticos.

A dona Eva foi escolhida para ser o símbolo da vacinação no Lar porque sua história conta com elementos que representam muitas outras ali. Passou a viver sozinha após a morte trágica do filho, se viu dependente de vizinhos para ajudá-la no dia a dia. Com pouca visão e problemas de hipertensão, não tinha a certeza de socorro quando passava mal em casa.

Frequentadora assídua das diversões para Melhor Idade, Dona Eva frequentava o Conviver e se divertia nos bailes realizado no Município antes da pandemia. De forma geral ela é quietinha, mas quando ouve uma música animada, Dona Eva não passa vontade, cai na dança e se diverte.

“Quero voltar para os bailes da terceira idade, ver minhas amigas. Estou com saudades das meninas que viviam comigo. Também quero voltar a frequentar a igreja todo final de semana. Tenho fé em Deus que eu vou voltar”, comemora Dona Eva.

A diretora da unidade, Marta Elisa Panarielo, explicou que a chegada da imunização no abrigo traz a sensação de alívio. “Não vamos mudar a nossa rotina de cuidados com as roupas, com os idosos, mas tomar essa vacina nos traz uma sensação de que as coisas podem voltar ao normal. Os idosos sentem falta de abraço, carinho, visitas. Tudo isso precisou ser suspenso de uma hora para outras e eles sentem muita falta disto”.

Por Assessoria – Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *