Liberte o Futuro

Movimento convoca manifestação virtual para denunciar responsáveis pelas emergências climáticas. Quando a imaginação se transforma em ação para construir novos possíveis

Com a proposta de adiar o fim do mundo e ajudar os parentes a segurar o céu, o movimento Liberte o Futuro, que nasceu de um chamamento público nas redes sociais em plena pandemia, propõe agora mais uma ação mobilizadora importante. Um grande manifesto para denunciar os perigos da emergência climática e mostrar quais ações humanas destroem deliberadamente o Planeta.

Na plataforma Manifão – Manifesto Cidadão – www.manifao.org – no próximo dia 21 de abril, a partir das 18h, cidadãos e cidadãs poderão se manifestar. Como a tela é a rua e a praça de agora, o Manifão da Emergência Climática vai APONTAR RESPONSÁVEIS, DAR NOME AOS BOIS E DEIXAR O REI NU num evento transmitido ao vivo.

Apoiado numa ação teatral que reunirá artistas, ativistas e especialistas de diversas localidades e etnias para alertar sobre os perigos que corremos, os seres e todo o planeta, se não entendermos o papel de cada um de nós no adiamento do fim do mundo. Culpados? Inocentes? De quem é a responsabilidade pelo caos que se vive agora? Estas e muitas outras questões serão tratadas no próximo Manifão, resultado da construção coletiva realizada pelos laboratórios do Liberte o Futuro.

Com a certeza de que a emergência climática provocada por ação humana exige mudança urgente para evitar o futuro hostil que se desenha para as novas gerações, o movimento instiga mais uma vez todos aqueles que estão insatisfeitos com os rumos do mundo, a transformar indignação em ação.

O Liberte o Futuro acredita que a maior crise sanitária do século impôs o isolamento físico, mas não o isolamento social, porque já mostrou na prática que as ideias criam possibilidades e não têm restrições ou fronteiras.

Para entender

O Liberte o Futuro surgiu em julho de 2020 nas redes sociais com o convite aberto a todos para imaginar o futuro pós-pandemia. Nascido em pleno isolamento social com o objetivo de inspirar a reflexão crítica e dinâmica sobre a vida pós-covid-19, o movimento ganhou o mundo.

É um coletivo não é liderado por uma pessoa ou organização. Parte do conceito “Eu+1+, a equação da rebelião”, de autoria do poeta Élio Alves da Silva, do Médio Xingu, Altamira, Amazônia. O foco central é invocar a responsabilidade coletiva ao reunir todos aqueles que querem fazer parte da criação e realização de mudanças na sociedade atual.

  • 2.153 bilionários do mundo concentram mais riqueza do que 60% da população global
  • A emergência climática condena populações humanas e não humanas em um ritmo sem precedentes
  • Consumo desenfreado, retrocessos políticos, flertes com o autoritarismo de outros tempos, um mundo que condena a volta ao pior do passado.

Muitos têm repetido que o mundo não será o mesmo após a pandemia provocada pelo novo coronavírus. O mundo já não é o mesmo, mas o que vem pela frente pode ser ainda pior. Quais as possibilidades de futuro pelas quais queremos lutar daqui em diante? O que é necessário para que ainda seja possível imaginar um futuro em que queremos e podemos viver?

A ideia de provocar ações no presente, partiu de um pedido: a gravação de vídeos de até um minuto sobre o futuro imaginado, sonhado a partir de 5 temas e das algumas reflexões:

  1. Antídotos contra o fim do mundo: imagine como quer viver;
  2. Democracia: proponha políticas públicas, assim como mudanças nas leis e nas normas para reduzir as desigualdades de raça, gênero e classe;
  3. Consumo: indique alternativas para eliminar as práticas de consumo que escravizam a nossa e as outras espécies;
  4. Emergência climática: sugira ações para impedir a destruição da natureza, garantindo a continuidade de todas as formas de vida no planeta;
  5. Insurreição: defina a melhor ação de desobediência civil para criar o futuro em que você quer viver!

Em poucos dias, chegaram mais de 200 vídeos. Pessoas comuns do Brasil inteiro e de várias partes do mundo, se juntaram ao espontaneamente, atendendo ao chamado do movimento.

Wagner Moura, Alice Braga, Eliane Brum, Zé Celso Martinez, Joênia Wapichana, Zélia Duncan, Fabiana Cozza, Antonio Nobre, Sérgio Vaz, Carmen Silva, Eliane Caffé, Jacira Roque de Oliveira (mãe de Emicida e Fiote), Tasso Azevedo, João Cezar de Castro Rocha, Déborah Danowski, André Trigueiro, Júlio Lancelotti e Tati dos Santos, são alguns dos que se mobilizaram para apoiar.

O Liberte se desdobrou, também, de julho a dezembro de 2020, em laboratórios sociais online. Uma experiência inovadora que reuniu em centenas de encontros, pessoas de todos os cantos para ouvir vozes, alimentar esperanças, ampliar a participação e o engajamento nas redes de quem quer gerar um futuro que não esteja preso ao passado e para impedir a volta do que na verdade nunca deveria ser considerada a normalidade.

Nasceram destes encontros, parcerias, propostas de trabalho, produções artísticas e muitos outros futuros possíveis que já começaram a se desenhar no presente. Os laços atados no Liberte, por pessoas que nunca se encontraram fora do mundo virtual permitiram ajuda para os povos da floresta, socorro médico para indígenas, plantio de sementes e de sonhos.

Serviço:

Manifão Emergência Climática – Movimento Liberte o Futuro

Dia 21/04/2021

Horário: das 18h às 20h

Transmissão ao vivo em www.manifao.org

 

Contatos para imprensa:

Amanda Boucault

Telefone: 11 971730193

E-mail: amandaboucault@gmail.com

Alessandra Roscoe

Telefone: 61 999855605

E-mail: alessandra.roscoe@gmail.com

Maurette Brandt

maurette.brandt@gmail.com

Graça Cremon

Telefone: 11 973152909

E-mail: gracacremon@gmail.com

Site e Redes Sociais:

Site: www.liberteofuturo.net

Instagram: https://www.instagram.com/liberteofuturo/?hl=pt-br

Facebook: https://www.facebook.com/liberteofuturo/

Twitter: https://twitter.com/LiberteOFuturo?ref_src=twsrc%5Egoogle%7Ctwcamp%5Eserp%7Ctwgr%5Eauthor

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCHDA4Nfvu9emyq1juLiUoEw/featured

Com Informações de Assessoria – Foto:Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *