Agevisa ressalta prioridade da Segurança do Paciente e órgãos demonstram apoio com iluminação laranja

Com o término da edição 2021 da campanha mundial “Setembro Laranja”, que tem a finalidade de mobilizar a sociedade para defender a adoção e execução de medidas que visam à redução de danos associados à assistência à saúde em serviços públicos, privados e filantrópicos, nos termos definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a Agência Estadual de Vigilância Sanitária alerta a população, em especial os profissionais de saúde, para a importância da preservação e intensificação dos cuidados durante todos os dias do ano para que se evite ao máximo a ocorrência de eventos adversos, dentre os quais quedas, lesões por pressão (LPP), erros cirúrgicos etc. Tais ocorrências, segundo o diretor-geral da Agevisa/PB, Geraldo Moreira de Menezes, ainda hoje se constituem num dos problemas mais graves de saúde pública em todo o mundo.

Conforme a coordenadora estadual de Segurança do Paciente da Agevisa/PB, Vívian de Oliveira Lopes, os cuidados com a integridade física e emocional de quem precisa e busca assistência à saúde devem ser observados por todas as pessoas envolvidas, aí incluídos dirigentes e profissionais dos serviços de saúde, administradores públicos, formuladores de políticas voltadas para a assistência à saúde e os próprios pacientes e seus familiares, que devem, inclusive, exigir a adoção de medidas de maior proteção nos casos em que perceberem ameaças de riscos à saúde nos estabelecimentos onde os mesmos estejam sendo atendidos.

Na edição 2021 da campanha “Setembro Laranja”, o destaque definido pela OMS contemplou a questão da Segurança das Mães e dos Recém-Nascidos, considerando o alto índice de mortalidade relacionado à gravidez e ao parto – mais de 800 mortes diárias de mulheres por causas evitáveis, segundo números destacados durante encontro online realizado na manhã e tarde de 17 de setembro (Dia Mundial da Segurança do Paciente).

Atuando como mediadora do evento que incluiu palestras, entrevistas e apresentações de projetos voltados para a segurança do paciente, Vívian Lopes observou, na ocasião, que cerca de 70% das mortes maternas ligadas à gravidez e ao parto são ocasionadas por complicações relacionadas a hemorragias, infecções, abortos inseguros, eclampsia e parto obstruído. “Este cenário, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), é agravado pela ocorrência diária de mortes envolvendo cerca de 6.700 recém-nascidos (número que representa 47% de todas as mortes de crianças menores de 5 anos) e pela média anual de dois milhões de bebês que nascem mortos, com mais de 40% dos óbitos ocorrendo durante o trabalho de parto”, enfatizou.

Assim como nos casos relativos ao tema destacado neste ano de 2021 (“Cuidado Materno e Neonatal Seguro”), a coordenadora estadual de Segurança do Paciente da Agevisa/PB observou, na manhã desta terça-feira (28), que os problemas decorrentes de complicações relacionadas à assistência à saúde envolvem todas as áreas do atendimento médico, hospitalar e ambulatorial, sendo importante a adoção cada vez mais efetiva de cuidados especiais para que as pessoas possam buscar e receber o devido atendimento sem serem expostas a riscos de complicações que podem ser evitadas por meio de medidas simples de higiene, de atenção na administração dos medicamentos e identificação do paciente e demais medidas de segurança que podem ajudar a salvar muitas vidas.

Iluminação laranja – Atendendo solicitação da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa/PB), diversos órgãos públicos e serviços de assistência à saúde em atividade no território paraibano iluminaram suas fachadas com tons de laranja em alusão à campanha mundial “Setembro Laranja” de conscientização e incentivo à adoção de medidas de Segurança do Paciente, nos termos preconizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A campanha “Setembro Laranja” mobilizou instituições públicas e privadas na Capital João Pessoa e em várias outras cidades paraibanas, e a adesão dos mesmos alcançou repercussão nacional por força de articulação da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (Sobrasp) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no sentido de estimular as medidas de Segurança do Paciente em todos os Estados da Federação, incluindo também o Distrito Federal, de forma a que todos promovam suas práticas em larga escala para que se possa alcançar a cobertura total de saúde no território brasileiro.

Durante a campanha “Setembro Laranja”, além do Fórum Criminal Oswaldo Trigueiro de Albuquerque Mello e do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba (sediados no Centro de João Pessoa/PB), demonstraram apoio à causa da Segurança do Paciente por meio da iluminação laranja de suas fachadas mais de 40 serviços se saúde.

Confira:

1.        Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, de João Pessoa

2.        Hemocentro da Paraíba João Pessoa)

3.        Hospital Alberto Urquiza Wanderley, da Unimed/João Pessoa

4.        Hospital Arlinda Marques, de João Pessoa

5.        Hospital da FAP, de Campina Grande

6.        Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho, de João Pessoa

7.        Hospital das Clínicas, de Campina Grande

8.        Hospital Day, do município de Patos

9.        Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, de Campina Grande

10.    Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, de João Pessoa

11.    Hospital Distrital de Itaporanga Dr. José Gomes da Silva.

12.    Hospital Dr. Francisco de Assis Freitas, de Solânea

13.    Hospital e Maternidade Santa Filomena, de Monteiro

14.    Hospital e Maternidade Sinhá Carneiro, de Santa Luzia

15.    Hospital Estevam Marinho, de Coremas

16.    Hospital Geral de Itapororoca

17.    Hospital Geral de Mamanguape

18.    Hospital Geral de Taperoá Antônio Hilário de Gouveia

19.    Hospital Infantil Noaldo Leite, de Patos

20.    Hospital Jandhuy Carneiro, de Patos

21.    Hospital João XXIII, de Campina Grande

22.    Hospital Memorial São Francisco, de João Pessoa

23.    Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, da Região Metropolitana de João Pessoa

24.    Hospital Padre Zé, de João Pessoa

25.    Hospital Regional de Cajazeiras

26.    Hospital Regional de Guarabira

27.    Hospital Regional de Patos

28.    Hospital Regional de Pombal

29.    Hospital Regional de Queimadas.

30.    Hospital Regional de Sousa

31.    Hospital Regional Wenceslau Lopes, de Piancó

32.    Hospital Santa Isabel, de João Pessoa.

33.    Hospital Universitário Alcides Carneiro, da UFCG

34.    Hospital Universitário Lauro Wanderley, da UFPB/JP

35.    Hospital Universitário Nova Esperança, de João Pessoa

36.    Instituto Cândida Vargas, de João Pessoa

37.    Instituto de Saúde Elpídio de Almeida, de Campina Grande

38.    Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos

39.    Maternidade Frei Damião, de João Pessoa

40.    Maternidade Peregrino Filho, de Patos

41.    UPA 24h – Cajazeiras

42.    UPA24H de Cajazeiras

43.    UPA24H de Princesa Isabel

João Evangelista 785-SRT/PB – Foto: Divulgação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *